MENU

02 janeiro 2016

Lubrificando - Mãe solteira transa?

Eu sou mãe e tenho 18 anos, fiquei grávida com 16 e desde então só transava com uma pessoa na minha vida, o pai da minha filha. Não era de todo ruim porque eu amava ele.... Mas o pior aconteceu... Eu senti vontade de ficar com outras pessoas.

Terminamos por um tempo, achei que eram os hormônios do fim de gravidez e pedi um tempo quando ela nasceu para eu me arrumar e pensar apenas nela e em mais nada que não seja ELA. Mas nada mudou. Eu ainda queria ficar com outras pessoas, sentia tesão por ver outros corpos e admito ter mandado fotos sensuais (nudes) para outros caras... Por melhor que era transar com o pai dela, minha sensação de que eu queria me libertar crescia ainda mais. 


Eu não queria namorar, não queria ter apenas um, não queria "casar" com 18 anos. Eu tinha muito a viver, e por mais que falem que sou mãe. Oras, eu sei que sou mãe, mas não posso transar? 

As pessoas, até mesmo minha própria mãe, tem a cabeça de que só porque sou mãe eu devo preservar minha imagem por ai. Mas mãe, É ÓBVIO. Eu sou mãe, preciso mesmo dar a imagem de que sou uma mãe "direita", mas sinceramente, o que é uma mãe direita? 

Eu trato minha filha como a única estrela do meu mundo (e é mesmo). Amo ela, cuido dela, me dou toda por ela. Isso é ser uma mãe direita. Eu achava errado sair com algum outro cara com ela em casa com meus pais ou com o pai dela, achava que estava fazendo algo errado. 

A primeira vez que transei depois de terminar com o pai dela (depois de uns 5-6 meses) foi um TERROR! Foi horrível, não estava confortável, até coloquei um colar de menininha para me deixar mais calma (não tente entender porque nem eu entendi esse meu pensamento), mas foi uma bosta, eu não estava preparada para ter outros "relacionamentos". Mas logo que comecei a sair, agora que ela tem 9 meses e vai para a casa do pai, eu comecei a colocar a minha vida em ordem e também a pensar no porquê todo mundo me fala: 

Você transa por ai? Mas você tem uma filha! 

Vamos colocar os pontos nos i's. 

Primeiro que eu não "transo por ai", eu fico com quem quero ficar, conheço caras legais. Sei que não vou namorar, mas é gostoso? Então por que não transar? Nós, mães solteiras, merecemos o que chamamos de: é sexo de apenas uma noite

A lei do blog é e sempre será: faça o que quiser desde que não machuque ninguém. Então eu digo, transe com quem quiser desde que não envolva animais nem criança, pronto. PONTO

Segundo. Eu tenho sim uma filha, muito bem cuidada, amada e feliz da vida, e do que interfere eu transar e a minha forma de criação? Vamos fazer assim, de um lado tem a minha vida sexual e do outro a minha filha, no meio não tem nada, sabe porque? Porque uma coisa não muda minha forma de ser mãe e a outra não muda minha forma de ser sexy. Vamos separar os tópicos, ok? Os dois juntos não combinam nenhum pouco.

Fico pensando que implicam porque as mães solteiras jovens são menos inteligentes que as mais velhas, e que vão engravidar novamente. Mas idade não dita nível de inteligência, o que podemos parar por aqui, porque engravidar de novo não quer dizer burrice. Isso só é julgado pela mulher que engravidou. 

Mas vendo o lado da "mãe sofrida". Nós vivemos para os filhos dia e noite, sem tempo para nós mesmas e muitas vezes sem ajuda de pai ou parentes. Por sorte tenho os dois, mas mesmo assim a mãe solteira sente muito.

Esse vídeo fala exatamente o que quero dizer nesse parágrafo:



A mãe merece um tempo para si, seja no salão de beleza, seja lendo ou conhecendo outros caras legais que vão nos tratar bem e nos fazer se sentir bem na cama! Coisa que as vezes não sentimos com o pai dos nossos filhos, não é? 

Muitas vezes me senti culpada por estar na cama com outro como se eu estivesse traindo a minha filha... Como se eu quisesse substituir o pai dela ou deixando de ficar aqueles minutos com ela para ficar com um cara que nunca mais vou ver. Mas é coisa de mãe, e sabe como eu sei? Eu fui atrás de varias mães solteiras para ver o que elas pensam, e vamos ver as respostas! 

DEPOIMENTOS


E -
Sou mãe e assumo minhas responsabilidades, Mas não ha nada de errado entre eu querer namorar e ter meu filho se isso não for prejudicial a ele.
É puro preconceito e comigo foi dobrado por que fui mãe aos 15. Eu acho que ninguém pode julgar ninguém... A partir do momento que eu cuido do meu filho e dou todo amor e carinho que ele merece eu tenho o direito de tocar a minha vida. Não e porque sou mãe que não posso namorar, estudar  e etc... É muito preconceito pra uma sociedade só julgar uma mãe por que ela optou por não sofrer mais em um relacionamento que não teria futuro ou por cuidar sozinha de sua vida...
Se fosse um homem ninguém diria nada então por que dizem a nós?
Posso ter 18 anos, mas cuido dos meus filhos como muitas mulheres de 40 não cuidam. Ás vezes nós de 18 temos o pensamento mais avançado q muitas mulheres mais velhas.


P -
Tive um noivo, mas tive que terminar a relação, pois eu via que ele não queria ter relacionamento com a minha família e ele reclamava porque eu dava prioridade para meus filhos.
Sou muito julgada por gostar de sair, de ir a shows e etc, porque infelizmente uma grande maioria acha que mãe de família não tem o direito de se divertir.
Depois que terminei meu relacionamento com o pai dos meus filhos eu nunca me envolvi com alguém que quisesse participar. Tive 2 namorados que diziam ser relacionamento sério.
Meu pai acha que devo ficar em casa, que não devo me divertir. Eu saio mesmo assim, e deixo ele falar. Imagina só se eu me ofender a aceitar, como é que vou conseguir levar a vida. Trabalho muito e muito pesado, chegar em casa e viver pra menino? Não dá.
Obrigações são obrigações, mas abaixar a cabeça não da.
Sobre os caras, acredito que algum dia vou achar alguém que queira algo sério, mas por enquanto saio... Fico com alguém quando acho legal e procuro não me envolver sério. Mas vou te confessar, não é fácil.
Em qualquer lugar, seja la o que for que você estiver fazendo, alguém sempre vai ficar te jogando na cara o fato de você ser mãe. E tentar usar como se fosse uma fraqueza sua.
Não é o fato de eu ser mãe que determina o que devo ou não fazer da minha vida, das minhas obrigações e da educação deles cuido eu, não é deixando de viver que serei um bom exemplo, não vou ser hipócrita fingindo ser uma coisa em casa e outra na rua, sou o que sou, e enquanto eu trabalhar para pagar minhas contas, cuidar do bem estar dos meus filhos e comprar minha cerveja, pagar minhas entradas de shows, viajar, fazer o que eu bem entender, ninguém tem que se meter nisso. Pai, mãe, irmãos, amigos, colegas de trabalho, vizinhos... Seja quem for... Se não for ajudar, não venha atrapalhar.
Eu nunca conversei assim com outra mãe. Me sinto observada e julgada o tempo todo, nada é perfeito
Mas sempre tenho esperança que o amanhã vai ser melhor porque se a gente a deixar levar, enlouquece.


S - 
Tem muita gente que pensa que mãe solteira não tem mais o que fazer além de cuidar do filho, que homem nenhum vai querer uma mulher já com o brinde, que é melhor desistir de encontrar a outra metade. É tenso, deixa a gente muito chateada. 
Nas primeiras vezes que sai eu ficava preocupada, queria voltar pra casa, olhava o relógio a todo instante, na verdade, meu pensamento estava nela, e eu não me diverti. 
queria dizer para as pessoas que pensam sobre nós mães pra ele verem hoje o que sou, a família linda que construí e para pararem de subestimar as pessoas por serem mães solteiras.


M -
O que já me aconteceu muito era o seguinte: fui mãe aos 18 anos, tinha amigas nesta faixa etária e lembro que nos dias de semana elas estavam sempre comigo, mas nos finais de semana eu ficava muito sozinha, já que naquela época eu não podia sair. Em relação à namoros sim, já senti que alguns homens com que possivelmente poderia me relacionar se assustavam com o fato de eu ser mãe e se afastarem. 
Teve uma fase que minha mãe reclamava quando eu saia demais, mas não eram outros caras em si, quando eu comecei a namorar sério minha filha tinha 3 anos e minha mãe me apoiou muito.
Eu dormia na casa dele direto e ela me ajudava muito, porque ela achava que eu já havia sofrido demais e precisava curtir um pouco.  
Realmente eu tenho muita sorte em ter minha mãe como amiga e parceira. Tudo isso foi de extremo aprendizado e hoje com certeza sou uma filha melhor. 



Esse depoimento é bem especial pois foi a visão da filha para a mãe solteira.
P -
No meu caso como filha sempre foi complicado. Quando criança as festas de dias de pais eu nunca fazia nada, sempre só ficava olhando. Todo mundo sempre perguntava "ah, mas porque você não tem pai?" E isso sempre foi muito chato porque soava como a obrigação de ter uma família completa, sabe? 
E julgamento eu tive alguns no sentido de que meu pai não me procurou, mesmo a gente se conhecendo as pessoas achavam que eu tinha que procurar ele, que eu estava errada e não é assim. Só quem está nessa situação pode julgar ou palpitar algo.
Quando eu era pequena minha mãe me deixava com a minha avó. Eu sempre dormia a noite toda, então quando dava ela saia. Eu acredito que relacionamento pra minha mãe nunca foi problema. Quando eu era criança ela namorou algumas vezes, mas nem sempre me dizia, eu que sempre fui muito curiosa e esperta. No fundo ela não queria que eu pensasse que ela estava substituindo o meu pai e no momento está quase casada com uma pessoa.
Eu tenho um tio, que é irmão da minha mãe e meu padrinho. Cara, todos dizem que sou filha dele. A gente sempre se deu muito bem e se todos sempre diziam que uma criança precisa da figura feminina e masculina pra criar "caráter", eu não tenho do que reclamar. Meu tio sempre fez isso muito bem. Sempre foi o meu pai e meu melhor amigo. 
Eu nunca vi os namorados dela como uma ameaça e graças a Deus minha mãe também nunca quis fazer essa substituição. Sempre fui tranquila com isso. 
O que eu posso dizer como filha nessa situação é que não é fácil... A mãe sempre faz de tudo pra suprir esse vazio, depende da personalidade da pessoa, mas eu sempre fui de guardar alguns sentimentos e isso me magoava. 
Quando era criança, bem nova ate uns 6 anos meu pai só queria me comprar com brinquedos. Aparecia de vez em nunca ate q sumiu e quando eu tinha 18 anos me ligou dizendo que estava numa situação difícil e que teria que tirar minha pensão. Eu quase mandei ele enfiar o dinheiro onde quisesse. Minha mãe ficou nervosa na época, mas eu falei que isso não faria falta e não fez! Por isso o que posso te dizer é, dói, claro que dói como filho saber que seu pai não se importa com você, mas isso vai fazer crescer sendo uma pessoa tão melhor.... Já aprendendo com o erro do outro. Querendo ser um pai ou uma mãe melhor no futuro. Nada vai poder mudar o vazio, mas outras coisas boas vão vir porque pode-se tirar muitos benefícios disso. Hoje eu estou muito bem com relação a isso. Minha vida é ótima com a minha mãe e meu tio me fizeram ser quem sou hoje. 



De tudo que elas falaram, eu comprovei que:
Tenha sempre alguém em quem confiar para desabafar sobre isso.
Não ligue para que os outros digam
A forma que você cuida dos seus filhos não interfere na sua relação sexual.



Quando os pais são casados eles podem transar toda noite que ninguém fica no pé, agora só porque somos solteiras não podemos? 

Deixe sua resposta aqui nos comentário! Quero ler o que pensam! kk
Beijos e até! 

comentário(s) pelo facebook:

6 comentários:

  1. Caramba! Que post! Você é nova, tem que curtir mesmo. Pelo pouco tempo que te acompanho, você é uma excelente mãe. E uma noite de transa não quer dizer que você vai deixar de ser uma excelente mãe! Curta, viva cada momento. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! só por acompanhar o blog e diz que sou boa mãe? Merece todo amor do mundo kkk obrigada mesmo! e fico feliz que concorde comigo nessa <3

      Excluir
  2. Você é nova, não está fazendo mal a ninguém, não está negligenciando sua estrelinha, não está deixando de dar o amor que ela merece.. então curta a sua vida! Vejo fotos com a sua princesa no instagram e ela é um amor! Você é uma mãe excelente e amo a sua forma de pensar. Beijo enorme, diretamente de Portugal ***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PORTUGAAAL <3 Meu sonho é ir ai! Certíssima você! nao estou deixando de dar amor pra dar a ****** kkkk obrigada de verdade por ver meu lado materno <3 por acompanhar meu insta <3 e principalmente por gostar!!!

      Excluir
  3. Anônimo2.1.16

    Eu estou passando por esta pressão psicológica comigo mesma..pois quero me separar so que fico me imaginando sozinha...ou ninguém querendo se relacionar comigo pq tenho uma filha..do meu relacionamento com o pai dela tenho muito o q reclamar mas ele com ela é o melhor pai que toda criança gostaria de ter, fico com medo de me separar e afastá-los e ainda por cima não poder me relacionar com ninguém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. moça, queria até te ajudar em privado, email ou qualquer que fosse a rede, mas posso te dizer com todas as forças do meu coração que você também é importante. Se você não está feliz com ele, não sacrifique sua felicidade por medo de não ter alguém que te ame e ame sua filha. Quem faria isso são os meninos, mas os homens de verdade não fazem isso! Tantos caras que seriam grandes padrastos dela, mas você não dá essa chance porque tem medo, insegurança. Larga isso, joga fora. Viva feliz, vá em busca da felicidade mesmo que ela demore um pouco. Você tem que se arriscar em achar alguém de verdade que faça você e sua filha feliz, do que ficar pensando no que poderia ter acontecido.
      Se você ficar no "e se", vai viver um pesadelo horrível!
      Eu vou parar por aqui, mas se quiser conversar mais, só me mandar um email: mairafernandesr@gmail.com
      pode ter certeza que eu como mãe, solteira, amiga, vou estar do seu lado se precisar!

      Excluir

Obrigada por comentar, responderei você assim que ver o comentário. Beijos de sangue e até breve.